05 fevereiro 2012

Extinção da COHAB - Coluna do Paulo Alceu

Paulo Alceu
www.pauloalceu.com.br


Extinção da Cohab
04-02-2012

Quem está no olho do furacão é a Cohab com ataques e acusações internas podendo provocar desgastes ao governo sem necessidade. A presidente da Companhia, Maria Darci Mota Beck, que está mais uma vez em viagem ao exterior, rebateu as acusações produzidas pelo diretor técnico Sergio Godinho. Classificou sem nenhum fundamento, e defendeu a saúde financeira da empresa e sua produção com mais de 14 mil unidades construídas nos últimos nove anos de atuação. Ao rebater uma por uma das acusações externou que Godinho está procurando desestabilizar a Cohab depois que foi pedido seu afastamento. Quem perde nessa briga? O governo. Mas fica a indagação? Há necessidade de manter a Cohab? A Caixa Econômico Federal, com os inúmeros programas habitacionais, vem ocupando esse lugar. Lembram do BNH, o Banco Nacional de Habitação? Foi extinto. Não tinha mais necessidade de ser mantido pelo governo federal. Dá para arriscar e dizer que apenas Santa Catarina ainda mantém uma companhia ao estil o da Cohab. Se existem outras são pouquíssimas. Claro que há todo um desgaste na desmontagem de um organismo público visando não prejudicar seu quadro técnico. Mas de repente é mais produtivo e interessante do que mantê-lo. O mesmo poderíamos dizer em relação a Codesc.